twitterfacebookemail

3 de janeiro de 2024

12 de novembro de 2023

0

Alfabeto móvel

 Alfabeto móvel











0

Alfabeto Astronauta

 



























0

Alinhavo

 
                                                  ALINHAVO

Para desenvolver a concentração e a coordenação motora fina nas crianças pequenas, promovendo a criatividade, a concentração e a orientação espacial a atividade de alinhavar é uma excelente opção para os professores da educação infantil.









14 de outubro de 2023

0

História da Cidade de Maceió

 

HISTÓRIA DE MACEIÓ


A cidade de Maceió está localizada em uma posição estratégica e que promove o acesso às terras interioranas do país por meio da sua zona portuária. Em decorrência disso, as invasões holandesas que ocorreram no Norte e Nordeste do Brasil, no século XVII, acenderam o alerta da necessidade de se garantir o domínio sobre aquela área, que, até então, não tinha um proprietário.

Os registros históricos apontam que a atual cidade teve início no Engenho Massayó, nome esse de origem indígena, atribuído pelas populações que ali viviam antes mesmo da chegada dos colonizadores, e que significa “o que tapa o alagadiço”. No entanto, atribui-se o processo de povoamento da região, nas primeiras décadas do século XIX (entre 1815 e 1820), à presença do Porto de Jaraguá, que foi separado da Vila de Alagoas, no ano de 1815.

Imagem do povoado que deu origem a Maceió

A economia de Maceió prosperou por meio da produção dos engenhos de açúcar e do extrativismo vegetal, tornando-se, assim, um dos principais centros econômicos da região. Com a emancipação política de Alagoas, que veio a ocorrer em 1817, após o seu desmembramento da capitania de Pernambuco, cogitou-se a transferência da capital para a pujante Maceió. O processo teve início mesmo sem unanimidade. Foi apenas no ano de 1839 que a cidade de Maceió passou oficialmente à condição de capital, consolidando-se, assim, como centro econômico e político de Alagoas."


 bandeira de Maceió é um dos símbolos oficiais do município de Maceió, capital do estado brasileiro de Alagoas. Foi sancionada em 29 de maio de 1962 pela Lei Municipal nº 868. Seu desenho buscar reforçar as cores e formas do brasão de armas criado por Théo Brandão em 1957.

Consiste em um retângulo, dividida em três faixas horizontais de igual largura na seguinte sequência, a partir de cima: verde, branco e azul. A faixa branca busca representar a restinga característica da orla de Maceió, com suas areias brancas. A divisa ondulada na cor vermelha, simbolizando o riacho Salgadinho, que corta grande parte da cidade, que possui um aspecto barrento resultante do transporte de aluviões de suas margens. As faixas nas cores verde e azul aludem ao oceano Atlântico e à lagoa Mundaú, respectivamente. No centro há um disco branco contendo o brasão municipal.

                                       

O Brasão de Maceió, município do estado do Alagoas, Brasil, foi criado pelo professor Théo Brandão e aprovado pela Câmara Municipal em 4 de janeiro de 1958.

A da criação do Brasão de Armas do Município de Maceió, foi de autoria do professor Théo Brandão, através do concurso público da Câmara de Vereadores de Maceió, em 25/09/57 e aprovado em 04/01/1958, representada da seguinte maneira: forma do escudo, retângulo de 8 x 7, com ângulos arredondados de ¼ de círculo, é a forma usada na Península Ibérica, e adotada pelas municipalidades portuguesas. Indica, assim, nossa origem racial, cultural e política, e faz a devida ligação do nosso passado com a história lusitana. A faixa central, de prata, representa a restinga onde se encontra situada Maceió. De prata, para retratar sua constituição arenosa e a alvura puríssima de suas praias, bem como para simbolizar a alegria característica de sua paisagem, que lhe valeu o nome, hoje clássico, de Cidade-Sorriso. A faixa diminuída, ou divisa, ondada, representa o riacho Maceió, Salgadinho ou Reginaldo, que recebeu o nome do lagoeiro ou pântano - Massayó,e depois o transmitiu ao primitivo engenho, mais tarde à vila e à cidade; de vermelho, pois que nasce sob o nome de Rêgo, ou Riacho, da Pitanga (vermelho, em tupi-guarani), e corre, na maioria do seu curso, principalmente no inverno, com águas barrentas, carregadas de argila vermelha das próprias ravinas que atravessa antes de chegar à restinga. O chefe, o primeiro quartel, carregado com uma jangada velejante de prata, representa o mar, que banha, de um lado, a restinga, e do qual a jangada é a embarcação típica e indispensável; de verde, para recordar os verdes mares bravios, simbolicamente, para indicar a abundância de peixes. O contra- chefe, campanha ou terceiro quartel, recorda por sua vez, a lagoa, que limita, no outro lado, a restinga; de azul, para indicar que não se trata de água salgada, e , simbolicamente para expressar sua formosura e serenidade; com uma canoa velejante, de prata, que é semelhante à sua embarcação característica. A coroa mural é símbolo dos municípios brasileiros, e vem sendo usada em todos os brasões municipais, a exemplo do que acontece em Portugal. É figurada com cinco torres para indicar que se trata de cidade, e de ouro porque a cidade é Capital de Estado. O escudete, com o barrete frígio, símbolo da República, pretende recordar que, município, nasceu o Marechal Floriano Peixoto, Consolidador da República. Os apoios: folhas de coqueiro, de sua cor, indicam que Maceió está situada dentro de um vasto coqueiral, mostrando, além disso, que a palmácea é a sua maior riqueza agrícola, E não é só agrícola, mas também, ornamental, emoldurando com sua beleza, as praias do mar e da lagoa, as ruas, os quintais e as praças de Maceió. A palavra Maceió, no listel, indicando o nome do município, acompanha a tradição heráldica, que nos veio através de Portugal, e que já se encontrava nos brasões nassovianos de Alagoas e de Porto Calvo.


Jogo da memória -  Maceió antigo 





Fonte: UOL e em Wikipédia

google-site-verification: google261ea1355834037a.html